6 sinais que seu filho precisa de uma consulta com psicólogo

A fase de crescimento traz muitos desafios. Alguns eventos como a separação dos pais, o nascimento de um irmão mais novo e a troca de escola podem contribuir ainda mais para que a criança fique confusa e se sinta deslocada.

Em alguns casos, isso é superado naturalmente. Em outros, há a necessidade de interferência profissional para que o quadro não se transforme em depressão ou outro contratempo. Crianças que apresentam mais dificuldade em passar por essas questões começam a mostrar alguns sinais preocupantes em seu comportamento.

Se você identifica em seu filho algum dos itens abaixo, agende o quanto antes uma consulta com psicólogo!

1. Tristeza e muito choro

Isolamento, choro excessivo e falta de interação social podem indicar que seu filho traz algum sofrimento. Se ele tinha comportamento alegre e tranquilo anteriormente e houve uma mudança brusca de atitude, busque ajuda o quanto antes.

Não deixe de informar essa percepção também à escola. É lá onde ele passa a maior parte do dia. Como você não pode observá-lo sempre, conte com a ajuda de profissionais para observar como andam as manifestações da criança.

2. Compulsão por comida

Por vezes, a criança ou adolescente não sabe como externar o que está sentindo. Esse indivíduo, então, se sente inseguro para expor o que se passa e procura maneiras acessíveis de descontar aquele incômodo. A mais fácil delas é a comida.

Ao desenvolver uma compulsão alimentar, essa pessoa se alimenta de modo exagerado sem nem perceber. É uma ação realizada apenas para ocupar a cabeça e fazer com que ela se esqueça do que realmente a perturba. A compulsão também pode levar à culpa e a distúrbios alimentares ainda mais graves, como a bulimia e a anorexia.

3. Comportamento agressivo

Momentos de raiva, birras e gritos, tanto em casa quanto em locais públicos, requerem uma atenção dobrada. Quando o comportamento leva também à agressão física, é mais um motivo para a consulta com psicólogo, pois essa é provavelmente a forma que seu filho encontrou de colocar o que está sentindo para fora.

Caso enfrente alguma situação que faça com que se sinta culpado ou fracassado, ele poderá exibir sinais de irritação e impaciência. Observe e acompanhe de perto suas experiências, seja com a família, com amigos ou nas atividades de rotina.

4. Problemas escolares

Esteja atento às notas e ao comportamento do seu filho na escola. Se o rendimento for baixo, ele pode estar precisando de ajuda, mas não sabe como se manifestar a respeito disso. Então, é hora de conversar com os responsáveis pela instituição e talvez marcar uma consulta com um psicólogo.

Outros transtornos podem se manifestar nesse cenário e interferir no desempenho escolar da criança ou adolescente como a hiperatividade, a dislexia e o distúrbio de memória. Para tratá-los, o psicólogo pode ter a ajuda de outros profissionais como, por exemplo, um neuropediatra e um fonoaudiólogo.

5. Dificuldades relacionadas à atenção

Geralmente, muitas crianças são medicadas de forma incorreta ao serem diagnosticadas com o Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH). A consulta com o psicólogo será suficiente para um tratamento eficaz, além de ajudar os pais e familiares a lidar melhor com o problema.

Em algumas situações, quando há uma mudança significativa no comportamento de quem mora na mesma casa que a criança, uma melhora já pode ser identificada. Isso acontece porque seu filho receberá uma influência direta sobre como se sentir, se comportar e até mesmo pensar.

6. Apresentação de manias ou fobias

Se seu filho tem comportamentos repetidos, medos repentinos ou preocupações excessivas com pequenos detalhes, talvez ele esteja desenvolvendo TOC Transtorno Obsessivo Compulsivo. Nesse caso, o psicólogo poderá orientar você acerca do melhor tratamento.

É importante que a criança não ache que está fazendo algo errado. Não dê broncas ou a repreenda antes de ter certeza de um diagnóstico profissional. Procure ser paciente com as condições do seu filho e esteja sempre presente. A consulta com psicólogo ajudará na identificação de qualquer problema e no tratamento, mas a criança precisa saber que pode contar com você durante o processo.

Quer ver outros textos como este e continuar cuidando cada vez melhor da família? Siga a nossa página no Facebook!

 

Posted in:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *