Depressão: descubra quais são os principais sintomas

Todos nós, em algum ponto de nossas vidas, lidamos com a infelicidade. Eventos traumáticos, como a morte de um ente querido, podem fazer os sentimentos negativos nos acompanharem por algum tempo.

No entanto, quando emoções como a tristeza, a falta de esperança e o desespero chegam e não vão mais embora, é importante refletir sobre a presença de outros sintomas da depressão.

A depressão é, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a maior causa de incapacitação no mundo atualmente. O relatório também mostra que a doença atinge cerca de 322 milhões de pessoas em todo o planeta.

Continue a leitura e saiba mais sobre esse problema e seus principais sintomas!

O que é depressão?

Engana-se quem acha que a depressão é uma tristeza passageira ou um problema supérfluo: na verdade, ela é uma doença séria, caracterizada como um distúrbio mental.

Suas causas ainda não são bem definidas, gerando controvérsias. No entanto, estudos apontam que elas podem ser as seguintes:

  • alterações no cérebro (na forma e no funcionamento);
  • mudanças hormonais;
  • histórico familiar.

Pessoas de qualquer idade podem sofrer com o problema, e sua incidência é estatisticamente maior entre as mulheres. A depressão também pode estar correlacionada com outras doenças, como a diabetes. Por isso, é importante a realização de exames periódicos.

Entre as complicações associadas à doença, podemos citar:

  • alterações no peso;
  • abuso de álcool ou drogas;
  • surgimento de outros transtornos mentais;
  • problemas sociais;
  • pensamentos suicidas.

Quais são os principais sintomas da depressão?

Sentir-se triste não quer dizer que alguém seja depressivo. Para que alguma ocorrência seja considerada um sintoma, ela deve persistir por pelo menos duas semanas seguidas e durar a maior parte do dia.

Confira os principais sintomas:

Instabilidade no humor

A tristeza é o sintoma mais comum e vem acompanhada de um sentimento de vazio e de pessimismo. Sentimentos de culpa também são comuns. É aí que mora o perigo: essa falta de esperança pode fazer o paciente acreditar que nada de bom acontecerá, e pensar em suicídio.

No entanto, em algumas pessoas, a depressão manifesta-se com muita irritabilidade e impaciência, e não como desânimo. Por vezes, as pessoas também oscilam entre esses dois estágios.

Variações na energia

A falta de interesse por atividades que antes eram corriqueiras é um alerta. Na depressão, as pessoas normalmente evitam práticas que antes as deixavam felizes. Podem, inclusive, evitar qualquer atividade.

Isso acontece porque a doença traz um grande cansaço e, às vezes, até mesmo uma lentidão nos pensamentos e nos movimentos, como falar baixo, arrastado e devagar.

Atenção: picos de energia podem acontecer, mas estão normalmente ligados à decisão de fazer algo drástico. Nessas horas, o paciente se sente aliviado por ter uma perspectiva de acabar com seus problemas. Fique ligado!

Mudanças no sono

Na maior parte dos casos, as pessoas que sofrem com a depressão dormem excessivamente, muito mais do que o habitual, apresentando dificuldade em sair da cama e seguir com os afazeres do dia.

Contudo, o contrário também pode ocorrer. Existem casos em que a insônia prevalece e elas não conseguem dormir, especialmente durante a noite, e costumam acordar cedo demais. Quando adormecem, o sono é fracionado e acaba deixando o paciente ainda mais cansado.

Alterações no apetite

As mudanças no apetite seguem a mesma lógica das que ocorrem com o sono: podem ser tanto para mais, quanto para menos.

A apetência pode diminuir devido ao desânimo, ou aumentar quando o paciente desconta suas frustrações nos alimentos. Por isso, qualquer oscilação súbita no peso ou na alimentação pode ser um aviso.

Problemas na concentração

Tarefas simples, como ler um jornal ou assistir televisão, podem se tornar difíceis. A indecisão também é um sintoma da depressão.

Além disso, problemas na memória não são incomuns. Depressivos geralmente afirmam que é difícil recordar detalhes e datas.

Se você está — ou conhece alguém que esteja — experimentando alguns dos pontos listados, não hesite em pedir ajuda: eles podem ser sintomas da depressão. A doença é tratável, mas procurar um médico é um passo crucial. Busque também o apoio das pessoas que te rodeiam!

Quer ficar sempre bem informado sobre assuntos da área da saúde? Então, não deixe de curtir a nossa página no Facebook

Posted in:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *