(ESTENDER+500) Check-up: saiba quais exames precisamos fazer!

Para manter a saúde em dia, é indispensável fazer alguns exames de rotina e manter hábitos saudáveis. Anualmente, homens e mulheres, principalmente após os 35 anos, devem fazer um check-up, que nada mais é que uma bateria de exames para dar um diagnóstico detalhado sobre as principais funções do organismo.

Os brasileiros não têm o hábito de realizar o check-up preventivo anual. Essa atitude é um erro, pois, por meio dele, é possível descobrir várias doenças em estágio inicial e realizar o tratamento antes que a saúde fique mais prejudicada.

Neste post, mostraremos alguns exemplos de quais exames precisamos fazer para ficar em dia com a saúde. Confira!

Pressão arterial

O exame de pressão arterial é bem simples e pode ser feito ainda na infância  embora seja solicitado mais frequentemente para pessoas a partir dos 18 anos. Nele o médico colocará um medidor de pressão no braço do paciente para calcular o ritmo dos batimentos cardíacos.

A partir desse exame, é possível diagnosticar se o paciente sofre de hipertensão  que é um fator de risco para derrames e infartos. Ele precisa ser repetido, pelo menos, uma vez por ano, para assegurar que não houve nenhuma alteração no organismo  por elementos como stress, falta de exercícios físicos e má alimentação. 

Hemograma

O hemograma é um exame solicitado desde a infância e consiste na contagem dos glóbulos brancos, vermelhos e plaquetas  ele também mede os índices de hemoglobina e hematócitos. O procedimento é feito mediante a coleta de sangue, sem necessidade de jejum.

Por meio do hemograma é possível detectar doenças tais como leucemia, infecções, rubéola, sarampo, hepatite e ainda muitas outras cujos sintomas aparecem na variação da contagem dos componentes sanguíneos.

Colesterol e glicemia

São exames que servem para medir o nível de gordura e açúcar na circulação. Eles são realizados por meio da coleta de uma gota de sangue e podem ser feitos desde a infância. No entanto, é a partir dos 18 anos que eles se tornam ainda mais essenciais. Depois dos 40 anos, é recomendado um exame de colesterol e glicemia por ano.

Com o resultado desses exames, é possível diagnosticar a diabetes e descobrir se a pessoa tem altos níveis de colesterol e triglicérides  o que propicia a obstrução dos vasos sanguíneos devido à presença de placas.

Papanicolau

No exame de Papanicolau, o médico raspa as células que revestem o colo do útero para fazer uma análise microscópica em laboratório. Ele deve ser feito anualmente por todas as mulheres que já iniciaram a vida sexual.

Por meio do exame, é possível identificar alterações no colo do útero e lesões causadas pelo HPV  que podem levar ao câncer do colo do útero. Após os 30 anos, a probabilidade de miomas e outras doenças relacionadas aumenta. Por isso, para completar o diagnóstico, o ginecologista pode solicitar a ultrassonografia transvaginal.

PSA e Toque Retal

O PSA (Antígeno Prostático Específico) é um exame de sangue que mede o nível desta proteína na sorologia do homem. Já o toque retal, como o próprio nome diz, é feito por meio da introdução do dedo do médico no reto do paciente.

A combinação desses exames faz com que seja possível diagnosticar o câncer de próstata ainda na sua fase curável. Esses exames devem ser realizados anualmente por todos os homens a partir dos 40 anos de idade. Caso existam casos de câncer de próstata na família, é indicado que comecem a ser feitos aos 35 anos.

É importante ressaltar que o PSA e o Toque Retal se complementam: não basta realizar um deles, pois o primeiro ainda apresenta resultados irregulares e o segundo ajuda a confirmar o diagnóstico para que não restem dúvidas.

Eletrocardiograma e teste ergométrico

Esses exames são feitos a partir de eletrodos sobre o peito para verificar o risco cardiovascular. A diferença é que o primeiro é feito com o paciente deitado e o segundo com o paciente em movimento.

Esses exames podem começar a ser feitos aos 20 anos de idade, especialmente para quem apresenta histórico familiar. Entretanto, é essencial que sejam realizados anualmente a partir dos 40. Por meio deles, é possível detectar entupimentos nas artérias, que levam aos ataques cardíacos.

Check-up renal

O check-up renal consiste em um exame que pode ser feito periodicamente em um nefrologista para que sejam detectadas possíveis doenças nos rins  evitando, assim, que elas avancem e permitindo que sejam tratadas ainda em sua fase inicial.

Inicialmente, o especialista realiza uma consulta para entrevistar o paciente e identificar algum sinal de doença renal. O exame físico, por sua vez, consiste na medida da pressão arterial e na avaliação de todos os órgãos relacionados às atividades dos rins.

Em seguida, os exames laboratoriais são solicitados e, por vezes, eles incluem exames de imagem. Esse check-up é indicado principalmente para quem tem familiares com doenças renais e também para os que apresentam sintomas como pressão alta, diabetes, cistos nos rins, insuficiência cardíaca, infecção urinária ou cirrose no fígado.

TSH

O TSH é um exame que avalia, por um exame de sangue, se o paciente está com alguma disfunção na tireoide  como hipotireoidismo (baixa produção de hormônios) ou hipertireoidismo (produção excessiva de hormônios).

O hipotireoidismo pode ser causado por defeito congênito, uso excessivo de medicamentos que contenham lítio ou alterações do sistema imunológico. Já o hipertireoidismo pode ser causado por alta ingestão de iodo, inflamações ou tumores.

As mulheres, principalmente, devem se submeter a este exame periodicamente, pois tendem a sofrer mais distúrbios na glândula. O acompanhamento pode ser feito desde a juventude para garantir um controle melhor da doença.

Em alguns casos, quando há suspeita de nódulos, o médico pode requisitar exames complementares  como ultrassonografia, cintilografia ou uma biópsia.

Avaliação hepática

O fígado é um dos órgãos mais importantes do corpo humano, pois é responsável por filtrar as toxinas, absorver vitaminas, regular as taxas de açúcar no sangue e ainda armazenar energia. Portanto, não se pode esquecer dele na hora de fazer o check-up.

Muitas doenças do fígado não apresentam sintomas imediatos e podem estar em estágio avançado quando diagnosticadas. Mulheres grávidas também devem passar por esse exame, assim como pacientes que apresentam urina escura, fraqueza e cansaço excessivos.

Em condições de tratamento para o alcoolismo, a avaliação hepática é muito importante para determinar tanto a evolução do indivíduo como a situação atual do organismo — só assim é possível definir os procedimentos a que ele deve ser submetido.

A importância de fazer um check-up anual

Atualmente, os exames solicitados em um check-up anual estão cada vez menos invasivos. Além disso, eles costumam apresentar resultados muito mais precisos, em muito menos tempo. Seu foco principal é na prevenção, com o intuito de manter os fatores de risco  como obesidade e tabagismo  sob controle.

Porém, quando uma doença é identificada, muitas vezes ainda se encontra em estágio inicial. Desse modo, as chances de cura aumentam significativamente, pois o tratamento se torna mais eficaz. Pessoas com doenças crônicas  como hipertensão, diabetes ou câncer  devem fazer os exames de seis em seis meses.

Embora adultos saudáveis possam dar um espaço de 2 anos entre a repetição dos exames, o ideal é que eles mantenham o hábito anual para que se acostumem quando a necessidade periódica aumentar na terceira idade.

O mais aconselhado é consultar inicialmente um clínico geral para uma visão abrangente de todo o organismo. De acordo com os resultados, o paciente será encaminhado para um especialista para dar continuidade aos exames.

Pronto! Agora você já sabe quais exames precisamos fazer anualmente e entendeu a importância do check-up para estar com a saúde sempre em dia. Se quiser ficar por dentro de mais informações como essas, não deixe de assinar a nossa newsletter!

Posted in:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *