Prevenção DSTs: como aproveitar o Carnaval com saúde e bem-estar?

O Carnaval é uma época deliciosa, com muita diversão e alegria. Mas que, infelizmente, pode ser um período que favoreça a transmissão de doenças, caso os foliões não sejam cuidadosos. Estamos falando principalmente das DSTs!

Pensando em quem tem dúvidas sobre o assunto, vale a pena alertar os leitores a fazerem a prevenção de DSTs. Saiba mais sobre o tema acompanhando o post!

O que são as DSTs?

Chamamos de DSTs as Doenças Sexualmente Transmissíveis, que são causadas por vírus, bactérias, fungos ou protozoários. Todas essas doenças são transmitidas, principalmente, pela relação sexual com uma pessoa infectada, sem o uso de preservativo.

Exemplos dessas doenças são: a sífilis, gonorreia, hepatite B e C, HPV, herpes genital e, claro, a aids.

Quais os sintomas?

Tanto no homem como na mulher, algumas DSTs não apresentam sintomas aparentes. É o caso das hepatites, que são consideradas silenciosas e raramente costumam trazer o quadro de cansaço, tontura, enjoos e pele e olhos amarelados. Portanto, além da prevenção, é fundamental procurar por consultas com profissionais periodicamente, sobretudo em caso de sexo sem camisinha.

Algumas dessas doenças são muito graves e, se não são diagnosticadas e tratadas a tempo, podem levar a complicações maiores e até à morte. Os sintomas da sífilis, por exemplo, são feridas na região genital e, em seguida, manchas pelo corpo, sugerindo uma alergia. Nessas duas etapas é que o potencial de infecção é maior.

O HPV se manifesta por meio de verrugas que podem aparecer tanto na região genital quanto no ânus, na boca, na garganta e no colo do útero. A preocupação grave se dá pelo potencial que alguns tipos do vírus têm de causar câncer. Já no caso da gonorreia, o principal sintoma é o corrimento nos órgãos genitais, causando ainda dor, ardor ou sangramento durante relações sexuais ou ao urinar.

A herpes genital causa bolhas e lesões dolorosas nas regiões genitais de homens e mulheres. Essas feridas também podem causar dor, ardor, coceira e febre.

O HIV/aids não manifesta sintomas rapidamente. O vírus ataca o sistema imunológico, derrubando as defesas do organismo. O tratamento pode controlar a doença, mas não curá-la.

Como podem ser evitadas?

É verdade que a preocupação com as DSTs deve existir o ano inteiro. Mas é durante o período carnavalesco que as campanhas de conscientização aumentam, e é preciso ficar atento às recomendações. Em especial os jovens, que são considerados o grupo que tem menos hábito de usar preservativos.

O uso da camisinha é a principal forma de prevenção das DSTs, seja nas relações orais, anais ou vaginais. Durante o Carnaval, ações do governo atuam distribuindo preservativos para a população, com o objetivo de reduzir a vulnerabilidade dos foliões, sejam jovens ou não, em suas práticas e comportamentos na festa do Rei Momo.

No caso da aids, caso aconteça exposição após relação de risco desprotegida, é preciso procurar o serviço de saúde até 72 horas após o ocorrido. É a chamada profilaxia pós-exposição, ou PEP. O serviço de emergência é gratuito. E quanto mais cedo o tratamento acontecer, maior a chance de a doença ser evitada.

A hepatite B pode ser transmitida tanto sexualmente quanto pelo compartilhamento de material para uso de drogas, como seringas, além da transfusão de sangue. A vacina contra a hepatite B está disponível gratuitamente na rede pública.

A vacina para o HPV também existe e é disponibilizada para meninas e meninos na faixa dos 9 aos 13 anos (meninos apenas a partir dos 12 anos).

Quais os principais tratamentos?

Cada doença terá a forma de tratamento mais indicada. Os tratamentos podem ser feitos com uso de medicamentos, injeções e alguns podem ser encontrados gratuitamente.

O mais indicado é procurar acompanhamento médico para receber o tratamento correto, como os medicamentos e orientações de práticas ao longo da vida, especialmente em caso de doenças que ainda não têm cura.

Existem painéis moleculares para DSTs, que são exames feitos para detectar a existência de alguma DST (dentre todas) no organismo. Esses exames, no entanto, são pagos.

Se esse post foi útil para você, também pode ser para outras pessoas. Compartilhe em suas redes sociais e ajude na prevenção de DSTs!

Posted in:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *